Hipotireoidismo

Hipotireoidismo: sintomas e tratamento

Provavelmente você já ouviu falar em hipotireoidismo, certo? O hipotireoidismo, resumidamente, consiste na queda da produção dos hormônios tireoidianos: T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). Ele é o distúrbio mais frequente na tireoide, uma glândula localizada na região do pescoço.

O formato dessa glândula é similar ao de uma borboleta, com lobos direito e esquerdo separados pelo istmo central.  Ela libera hormônios essenciais a partir do funcionamento orquestrado pela hipófise, importante estrutura cerebral.

Vale ressaltar que o trabalho da tireoide repercute em todo o corpo e costuma interferir no ritmo intestinal, humor, batimentos cardíacos, ciclo menstrual, etc. Quer entender um pouco mais sobre o hipotireoidismo, especialmente os sintomas e os tratamentos possíveis? Leia o artigo completo.

Como ocorre o hipotireoidismo?

O hormônio T3 é naturalmente produzido em menor quantidade pelo organismo. Porém ele é muito potente e extremamente necessário para que os órgãos realizem suas funções adequadamente. Já o T4 é fabricado em maior quantidade, mas sua potência é menor.

Quando o hipotireoidismo ocorre, há uma redução significativa no volume de produção desses hormônios. Acontece uma espécie de pane e a quantidade de T3 e T4 na corrente sanguínea diminui. Isso pode ser desencadeado por fatores como problemas autoimunes. Por exemplo da Tireoidite de Hashimoto, sendo mais comum em mulheres, embora possa atingir ambos os sexos.

Quais são os sintomas?

O hipotireoidismo costuma resultar em manifestações como um leve ganho de peso, retenção líquida e dificuldade para emagrecer. Além disso, quando há um déficit dos hormônios T3 e T4, o bombeamento de sangue diminui, o que pode provocar sintomas cardíacos. Para completar, o intestino tende a ficar mais lento, a pele resseca e o risco de glaucoma aumenta.

É comum que pessoas com hipotireoidismo sofram com sinais como sonolência, cansaço excessivo, alterações no humor, problemas de memória,  unhas fracas, queda de cabelo, mãos e pés gelados, anemia, sensação de frio, redução na libido e colesterol alto.

Como tratar?

O diagnóstico do hipotireoidismo é feito através de detalhado exame clínico, associado a exame de sangue específico para verificar a dosagem de T3 e T4 e a presença de anticorpos específicos (anti Peroxidase  e anti Tireoglogulina) . Se o quadro for confirmado, o tratamento inclui a reposição hormonal com uma versão sintética da tiroxina (T4). No organismo ocorre a conversão em triiodotironina (T3).

Essa reposição deve ser orientada e acompanhada pelo endocrinologista para aumentar a segurança e eficácia do tratamento, sempre considerando o grau de desequilíbrio da glândula tireoide.

Geralmente o tratamento para controlar o hipotireoidismo dura a vida toda, exceto nas formas transitórias da doença (mulheres no pós-parto ou pacientes com hipotireoidismo decorrente de efeito colateral de medicamentos). Nesses casos, a reposição nem sempre é necessária, uma vez que as funções tireoidianas tendem a se normalizar com o passar do tempo ou com a suspensão do medicamento que provocou o desequilíbrio hormonal.

Quer saber mais sobre hipotireoidismo? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter. Ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em São Paulo!

Comentários
Dra. Adriana Pessoa

Posted by Dra. Adriana Pessoa