Depressão e Excesso de Peso

Tanto a obesidade quanto a depressão são problemas de saúde  significativos. De acordo com estudos recentes, estas enfermidades custam à economia global trilhões de dólares todos os anos.

Pesquisas anteriores observaram que a depressão geralmente aparece em pessoas com sobrepeso ou obesas (1). No entanto, a relação de causa e consequência permanecia uma incógnita no mundo cientifico.

Dessa forma, para obter uma melhor compreensão desse complicado relacionamento, pesquisadores da Universidade de Exeter, no Reino Unido, uniram forças com cientistas da University of South Australia. Eles publicaram seus resultados (2)  no International Journal of Epidemiology  em novembro de 2018.

Excesso de peso x Depressão

Conforme o estudo avaliou a questão genética para inspecionar a relação causal entre obesidade e depressão. A equipe queria entender se um índice de massa corporal (IMC) mais alto estava relacionado ao aumento do risco de depressão sem a presença de outras condições de saúde.

Os pesquisadores usaram dados genéticos e médicos de 48.000 pessoas com depressão e compararam com mais de 290.000 controles, tornando-se o maior estudo a abordar essa questão até o momento.

Impacto psicológico para culpar?

No geral, como esperado, um IMC mais alto foi associado a maiores chances de depressão. Essa associação foi mais forte em mulheres que em homens, confirmando descobertas anteriores. Mulheres com um IMC elevado tiveram um aumento de 21% no risco, em comparação com 8% nos homens.

Ao investigar indivíduos com genes predispondo-os à obesidade, mas sem os que os predispõem a condições metabólicas, como o diabetes – referido como um “perfil metabólico favorável” – os pesquisadores poderiam separar o componente psicológico da obesidade.

Em sua análise, eles foram responsáveis ​​por uma série de variáveis ​​que poderiam influenciar os resultados, incluindo posição socioeconômica, consumo de álcool, tabagismo e atividade física.

Eles descobriram que indivíduos com um perfil metabólico favorável tinham a mesma probabilidade de desenvolver depressão do que indivíduos com obesidade que carregavam genes predispondo-os a desenvolver condições metabólicas. Este efeito foi mais pronunciado nas mulheres.

Para confirmar novamente suas descobertas, eles também coletaram dados do Consórcio de Genômica Psiquiátrica. E sua segunda análise retornou resultados semelhantes, acrescentando mais peso às suas conclusões.

Excesso de peso é o vilão?

“Nossa análise genética robusta conclui que o impacto psicológico de ser obeso é susceptível de causar depressão” afirmou o pesquisador Dr. Jess Tyrrell.

Esses resultados fornecem uma visão vital, como explica o Dr. Tyrrell. “Isso é importante para ajudar os esforços direcionados a reduzir a depressão, o que torna muito mais difícil para as pessoas adotarem hábitos de vida saudáveis”.

No entanto, a relação entre obesidade e depressão é complicada e as questões permanecem. Como os autores escrevem, “não excluímos uma possível relação causal bidirecional entre IMC mais alto e depressão. Mais pesquisas são necessárias para explorar o papel causal da depressão no índice de massa corporal e na obesidade”.

Como a depressão e a obesidade podem ter impactos profundos sobre os indivíduos e a sociedade em geral, é provável que a atenção científica continue a olhar para seus elos. Enquanto isso o ideal é manter o peso saudável. Procure um profissional capacitado para auxiliar no tratamento de ambas as enfermidades.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter. Ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em São Paulo!

Referências

  1. Is obesity associated with major depression? Results from the Third National Health and Nutrition Examination Survey
  2. Using genetics to understand the causal influence of higher BMI on depression
Comentários
Dra. Adriana Pessoa

Posted by Dra. Adriana Pessoa