colesterol alto

6 mitos e verdades sobre o colesterol alto

Antes de tudo, é preciso saber que o colesterol elevado é um problema sério de saúde. De acordo com levantamentos da Sociedade Brasileira de Cardiologia, a cada 10 brasileiros, quatro sofrem com o alto nível de colesterol. Isso significa que, no Brasil, mais de 18 milhões de pessoas correm o risco de desenvolver um problema sério decorrente da doença.

Por ter um alto nível de ocorrência, não é raro que rumores surjam em torno do colesterol alto. Entretanto, você sabe o que é verdade e o que é mito sobre esse tema? É sobre isso que vamos falar a seguir. Continue a leitura e entenda mais!

1. Apenas pessoas idosas sofrem com o colesterol alto

Mito. Apesar de ser um quadro que atinge mais os indivíduos com idade avançada, as pessoas mais jovens também podem ter problemas. Especialistas recomendam que a partir dos 20 anos medições preventivas sejam feitas, especialmente nos casos em que outros membros da família já apresentaram a condição.

2. Somente pessoas com excesso de peso ou obesas podem ter o quadro

Mito. Uma grande quantidade de gordura pode até apontar para um aumento do colesterol. Contudo, isso não significa que seja um fator definidor para a existência da condição, ou que pessoas com peso ideal não desenvolvam a doença.

3. O colesterol é importante para o organismo

Verdade. Esse lipídio tem um papel fundamental para a saúde do organismo. Por exemplo, ele é utilizado na produção de hormônios esteroides, bile e vitamina D. Além disso, ele faz parte das células que compõe o coração, intestinos, fígado, pele, músculos, nervos e cérebro. Por outro lado, o problema surge exatamente quando seus níveis ficam elevados no sangue. Lembrando que temos dois tipos de colesterol: o bom – HDL e o colesterol ruim – LDL

4. Quem desenvolve o problema sempre precisa de remédios

Nem mito, nem verdade. Para definir se você vai ou não precisar tomar medicamentos o médico especialista considera uma série de fatores. Entre eles, os mais importantes são o histórico familiar, o quanto o colesterol está alto e se outras maneiras de controle não foram bem-sucedidas.

Às vezes, mudanças no estilo de vida, como uma dieta melhor balanceada e a prática de atividades físicas, pode ajudar a diminuir a taxa elevada de colesterol. Se isso der certo, os medicamentos de controle podem não ser necessários.

5. Fatores genéticos pode influenciar a condição

Verdade. Pesquisas científicas já evidenciaram que a quantidade de colesterol em nosso organismo é determinada por aspectos genéticos, bem como pelo estilo de vida.

Por isso, as pessoas que tem algum familiar próximo, como os pais ou irmãos, que já tiveram problemas com o excesso dessa gordura devem fazer consultas regulares com o especialista para conferir se está tudo bem. Além disso, precisam cuidar para não ter uma vida sedentária e uma alimentação desequilibrada.

6. Sempre há sinais e sintomas

Mito. Especificamente no caso do colesterol alto, o mais comum é não haver sinais ou sintomas. Por isso, muitas vezes, a pessoa nem sabe que está correndo algum risco. Há casos em que a descoberta acontece tarde demais, por ocasião de uma AVC ou ataque cardíaco. Sendo assim, vale muito a pena ter uma rotina de cuidados preventivos.

Se você sofre com colesterol alto procure manter os cuidados recomendados pelo seu médico. Se caso tem dúvidas ou suspeita que possa ter algo errado, procure um especialista. Afinal, é possível controlar a condição e viver bem com ela!

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em São Paulo!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp